Site icon NeuronUP Brasil

O Monte Sinai iniciou uma pesquisa coma NeuronUP sobre as sequelas cognitivas da COVID-19

Monte Sinai pesquisa coma NeuronUP

O prestigioso Hospital Monte Sinai, de Nova York (The Mount Sinai Hospital) iniciou uma pesquisa com a NeuronUP, sobre as sequelas cognitivas derivadas da COVID-19; a pesquisa foi feita com mais de 200 pacientes, e nos seguintes meses serão acrescentados mais pacientes a essa grupo. O objetivo do estudo é reabilitar, o máximo possível, as alterações cognitivas causadas pelo coronavírus.

“Nós, da equipe NeuronUP, queremos agradecer o privilégio de termos sido escolhidos por uma Instituição de prestígio como o Hospital Monte Sinai, como apoio para realizar sua pesquisa sobre as consequências da COVID-19”, afirma o CEO da NeuronUP, Íñigo Fernandez de Piérola.

Perfil cognitivo dos usuários afetados

A fase de preparação da pesquisa começou em dezembro do ano passado, etapa na qual os pesquisadores se concentraram em avaliar os perfis cognitivos dos pacientes.

O estudo prévio constatou que houve sequelas não só nos idosos, mas também nos jovens que, em muitos casos, têm alto nível de qualificação, e ocupam cargos de responsabilidade. Os afetados são, muitas vezes, cientes da perda do nível cognitivo que sofreram, e das dificuldades que encontram no desempenho de suas atividades cotidianas. Com essa intervenção, esperam poder recuperar sua “vida normal”, tanto a nível pessoal quanto profissional.

Principais sequelas cognitivas do coronavírus

Os principais problemas apresentados por esses pacientes, além das conhecidas sequelas nas gnosias olfativas e gustativas, são problemas de atenção, de memória, de linguagem, de funções executivas e de habilidades visuoespaciais.

Pesquisa feita pelo Hospital Monte Sinaie a NeuronUP: Fase de intervenção

A fase de reabilitação começou dia 8 de março, com 200 pessoas, e está previsto que o número de pacientes vai aumentar gradativamente nos próximos meses. A intervenção, no princípio, durará dois meses, porém esse tempo poderá ser ampliado caso seja considerado necessário.

Os pacientes realizarão um programa de intervenção on-line, graças à opção de telerreabilitação oferecida pela NeuronUP. Os pacientes se conectarão três vezes por semana com a NeuronUP, durante 30 minutos, e realizarão o programa de atividades previamente projetado pela equipe de profissionais da NeuronUP, juntamente com a equipe do Monte Sinai. O programa foi baseado no perfil cognitivo dos pacientes, e consiste em atividades da NeuronUP para trabalhar em funções cognitivas afetadas.

Programa de atividades da pesquisa do Monte Sinai com a NeuronUP

O paciente que participar da pesquisa sobre as sequelas cognitivas derivadas da COVID-19, realizada pelo Monte Sinai e a NeuronUP, terá que realizar algumas das atividades da NeuronUP, tais como:

1. Relacionar o verbo com a imagem:

É um exercício para trabalhar a linguagem, no qual o paciente terá que relacionar cada verbo com a imagem que representa cada ação.

Atividade NeuronUP Relacionar verbo com imagem

2. Formando palavras

Esse é outro jogo para estimular a linguagem, consiste em formar palavras ordenando fragmentos, sílabas ou letras soltas.

Atividade NeuronUP Formando palavras

3. Ordenar sequência

É uma atividade para reabilitar a memória, na qual o paciente deve memorizar a sequência das imagens mostradas,para que depois as coloque na mesma ordem; como se mostra no vídeo a seguir:

4. Encontrar os números que faltam

Atividade focada em trabalhar a atenção. Consiste em encontrar, em uma tabela de números, aqueles que estão faltando.

Atividade NeuronUP Encontrar os números que faltam

5. Salto com regras

É um jogo projetado para trabalhar a inibição. O usuário tem que seguir um caminho com o objetivo de chegar à caixa final, saltando elementos ou retrocedendo, de acordo com as regras indicadas.

Atividade NeuronUP Salto com regras

6. Consequências

Trata-se de uma ficha para trabalhar o raciocínio, consiste em determinar as possíveis consequências de determinadas situações.

Atividade NeuronUP Consequências

Nós, da equipe NeuronUP, seguiremos informando sobre os avanços da pesquisa do Hospital Monte Sinai.

Sair da versão mobile